A Radiologia Odontológica e Imaginologia atualmente permite ao Cirurgião-Dentista uma fonte quase que inesgotável de recursos para o diagnóstico e elaboração do plano de tratamento dos seus pacientes. As radiografias convencionais com o uso de filmes e soluções químicas ainda tem grande importância na rotina dos consultórios, uma vez que os sistemas radiográficos digitais intraorais ainda tem custo elevado para a maioria dos colegas Cirurgiões-Dentistas.


Assim nesses 30 anos de docência na área de Radiologia somos abordados sobre temas recorrentes de como armazenar exames radiográficos e sobre a qualidade das imagens. De maneira simples podemos considerar que o processamento químico-radiográfico no consultório deve seguir o mesmo rigor adotado durante o curso de graduação, ou seja, que sejam respeitados principalmente os tempos de fixação (aproximadamente 10 minutos) e de lavagem final em água corrente (em torno de 15 minutos).


Pensando-se no armazenamento das imagens para uso próprio no consultório, podemos de maneira prática simplesmente escanear as radiografias com o auxílio de uma máquina fotográfica digital com lente macro ou mesmo com o uso de um smartphone com boa resolução (pelo menos 5 megapixels). Caso não tenha negatoscópio a disposição, pode-se abrir um slide em branco no Powerpoint e usa-lo como um negatoscópio virtual.


Esse processo extremamente simples de digitalização das radiografias permite compartilhar imagens na discussão de casos com outros colegas, modificar para estudo dos casos aspectos como densidade e contraste das imagens, aplicar ferramentas de diferentes programas (ex: Adobe Photoshop ou Image J).


Cabe ressaltar que do ponto de vista legal, estas imagens não são certificadas, mas tem grande valor na discussão de casos e trocas de experiências. Deve-se tomar cuidados sobre compartilhamentos em redes sociais de imagens de pacientes. Isso envolve aspectos éticos importantes.


Embora muitos de nós tenhamos nascido na era analógica, as adaptações ao mundo digital são essenciais na rotina profissional. Desta forma, a digitalização de uma maneira simples e de baixo custo, favorece a elaboração do diagnóstico em Odontologia.


Professor Claudio Costa
Diretor do Departamento de Radiologia da APCD / Jan, 2017